O Evento

Em função da comemoração dos 50 anos da SBMa, o XXVI EBRAM foi planejado para atender à necessidade de valorização da memória e preservação do patrimônio científico-cultural. Nesse sentido, a programação está coerente com dois eixos principais que devem permear o encontro. Esses eixos seriam o “Tempo” e o “Modo” da Malacologia, no Brasil”.

A referência ao Tempo Passado está presente nas temáticas: “Pioneiros da Malacologia no Brasil”; “História, Memória e Preservação das Coleções Malacológicas”; “A Malacologia em obras literárias”.  A referência ao tempo futuro está presente nos temas: “as coleções malacológicas na era das moléculas”; “a taxonomia integrativa”; “o papel das bases de dados de biodiversidade na ciência contemporânea”, “o conhecimento sobre a diversidade de moluscos em áreas pouco exploradas” (sejam biomas, regiões geográficas ou o mar profundo).

O olhar vanguardista também está presente nas abordagens modernas para o estudo dos moluscos, tais como o silenciamento genômico; a modelagem de nicho ecológico; a microtomografia computadorizada, a microscopia Raman, dentre outras.

 A reflexão sobre o futuro permeia a programação, através de um olhar crítico que busca conhecer e mostrar os avanços, desafios e lacunas no conhecimento. O olhar voltado ao passado não atende ao único interesse de celebração dos 50 anos da SBMa, mas igualmente à necessidade de autoconhecimento: Quais são as nossas referências científico-culturais? O que representa o patrimônio que está em nossas mãos hoje e o que deixaremos como legado para as gerações futuras?            

Toda a programação contempla, ainda, eixos temáticos de interesse para a sociedade brasileira, na atualidade, tais como: “Conservação da biodiversidade”; “Impactos das espécies invasivas/pragas”; “Mudanças climáticas globais”; “Popularização da ciência”; “Saúde”; “Poluição e desastres ambientais”;”economia em comunidades tradicionais”, dentre outros.